Páginas

quarta-feira, 20 de março de 2013

28 DE MARÇO: NÃO ESQUECER JAMAIS! AVANTE A AÇÃO DIRETA ESTUDANTIL!

Companheiros/as secundaristas,

Propaganda contra as políticas neoliberais do Governo!
vem chegando o dia 28 de Março - Dia Nacional de Luta dos Estudantes. Durante a semana dos dia dos estudantes a Rede Estudantil Classista e Combativa (RECC), organiza a Semana Nacional Classista e Combativa com colagens de cartazes, panfletagens em escolas e universidades, pichações, cine-clubes, debates e manifestações em defesa de nossos mártires, de nossas lutas passadas e atuais contra o Estado e o Capitalismo e pelos direitos dos estudantes!

Este ano a Semana Nacional Classista e Combativa será organizada no Distrito Federal, Salvador, Fortaleza, Rio de Janeiro, Jataí-GO, Goiania-GO, Marília-SP, Presidente Prudente-SP, Campo Grande-MS. 
Participe das atividades que forem ocorrer em suas localidades!
Faça agitação e propaganda em sua escola e universidade!
Ousar lutar, Ousar vencer!


-------------------------------------------------------------------

[Texto retirado do Jornal "AVANTE!" da RECC]

28 de Março: Dia Nacional de Luta dos Estudantes :

28 de Março é celebrado o Dia Nacional de Luta dos Estudantes. Esta data homenageia o secundarista Edson Luís de Lima Souto que em 1968 foi assassinado com tiros a queima roupa pela Polícia Militar, no Rio de Janeiro. Fora o primeiro estudante que tombou morto diante da ditadura. Ele participava de um ato no restaurante estudantil Calabouço, foco de grandes mobilizações, reivindicando melhorias na alimentação, diminuição no preço e o término das obras do local. A PM adentrou o restaurante metralhando indiscriminadamente, deixando vários feridos e outros mortos, como o estudante Benedito Frazão Dutra, que faleceu dias depois.

O corpo de Edson Luís foi levado imediatamente pelos próprios companheiros para ser velado na Assembleia Legislativ a, e depois por cerca de 50 mil pessoas para ser sepultado. Nem sua missa de 7º dia foi poupada, onde os militares voltaram a atacar os presentes na igreja da Candelária, deixando outros feridos. A morte de Edson Luís gerou comoção e revolta nacional. Organizaram-se nos meses seguintes combativas passeatas e greves gerais com milhares de pessoas em mais de 20 cidades em todo Brasil, às quais tiveram mais presos, feridos e outros mortos pela ditadura.

Em decorrência desta data, a RECC (Rede Estudantil Classista e Combativa) todos os anos faz questão de manter viva a memória do camarada Edson Luís e de todos aqueles que foram perseguidos, torturados ou assassinados enfrentando a sanguinária ditadura civil-militar da burguesia. Não podemos permitir que apaguem nossa história e nossa luta, tal como assassinaram nossos camaradas. O esquecimento é a morte. A luta é a vida.


Em memória e justiça aos mortos pela ditadura!
Não esquecemos nem perdoamos!
O companheiro Edson Luís vive!

video

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Cordel contra a polícia


Autor: Ariel Martins, 7ª Série, 2003.


Desde o início dos tempos
Ela já estava lá
Surgiu para defender os reis
E o povo controlar

Era o que a classe dominante
Estava a necessitar
Cães de guarda servis
Prontos para espancar e matar

E assim os poderosos podem
Dominar e explorar
Se o povo se revolta
Com suas armas a polícia irá exterminar

Nunca defenderam o povo
Muito menos a comunidade
São apenas o exército
Da elite da sociedade

Atrás desse uniforme
Se esconde um torturador
Que te mata enquanto dorme
E que ri da sua dor

E não me venha dizer
Que isso não é verdade
Pois muitos garotos de rua
São mortos na cidade.
A palavra Candelária não o faz lembrar de nada?

Dizem acabar com a violência
Mas não há melhor piada
Pois esta é apenas a conseqüência
Desta ordem desgraçada

Mas que fique bem claro
E bem diferenciado
A violência dos dominadores
Da resistência dos dominados

Defendem este sistema
De desigualdade e subvivência
O poder gera o problema
É o causador da violência

Não é brincadeira viver na miséria
Sob exploração
Nos reprimem quando protestamos
E não esperam reação?

Mas esta maldita autoridade
Não é a única culpada
Culpado também é o povo
Que é explorado e não faz nada

Defendendo o poder
Mantendo-nos nessa situação
O povo submisso
Numa eterna escravidão

Não faz, talvez por medo
Ou por alienação
Não vê que sua liberdade
Só será fruto de suas próprias mãos

Mas quando o povo se organiza
E se torna consciente
As vendas caem
A revolta é crescente

Mas ai chegam eles
Com seus cassetetes e fardas
Mostrando sua verdadeira cara
Manter os oprimidos com a boca fechada

Se é negro e pobre
É bom tomar cuidado
Polícia = esquadrão nazi de extermínio
Mata muitos espancados

Afinal quem se lembra
Dos pobres e miseráveis
As leis foram feitas pelos ricos
Não punirão seus cães confiáveis

Mas a violência policial
Não é conseqüência ou reação
Não há justificativa
Apenas serem os defensores da Dominação.



Manifestante grego enfrenta a repressão policial


quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Eleições do Grêmio do CEF 04 de Planaltina/DF: vote chapa "Carlos Marighella"

A RECC esteve empenhada junto à estudantes do Centro de Ensino Fundamental 04 de Planaltina/DF no trabalho que resultou, em 30 de agosto de 2012, na fundação do grêmio "Edson Luís" na escola. Hoje acompanhamos e auxiliamos diretamente no processo eleitoral do Grêmio, apoiando a chapa nomeada espontaneamente pelos próprios estudantes de "Carlos Marighella" - homenagem ao líder revolucionário brasileiro.



O empenho de organização estudantil desde as mais baixas séries, apesar de representar uma experiência bastante singular em Brasília (ou no Brasil), e por isso apresentar suas difildades, possui grande potencialidade. Esta potência surgue de um ímpeto, um instinto ainda que difuso por parte da juventude das periferias candangas de reação diante das condições de vida em geral e de sua escola em particular, notadamente precárias. É assim que a organização da parcela mais jovem das classes proletárias se faz fundamental: para reagir e lutar por nossos direitos mais elementares contra a voracidade do capitalismo, acumulando forças e aprendizado, de geração à geração, para fazer frente ao capital que, no âmbito da educação, pretende submeter a maior parcela dos estudantes de escolas públicas à "formações" unicamente para servir às fileiras do desemprego ou aos trabalhos precários no futuro. Devemos negar a prática "eleitoralista" das correntes políticas que aparecem nas escolas somente de 4 em 4 anos para discutir o "voto consciente" ou a prática oportunista que apenas utiliza o movimento estudantil secundarista como "pólvora de canhão" ou "massa de manobra" para fazer volume esporadiamente em manifestações mas que não acreditam no potencial criativo e organizativo dos estudantes proletários mais jovens.

VIVA O MOVIMENTO ESTUDANTIL SECUNDARISTA COMBATIVO!
VIVA A CHAPA CARLOS MARIGHELLA!


segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Vitória dos estudantes!


Fundação do Grêmio Estudantil no CEF-04 de Planaltina-DF!

Enquanto playboys enchem a cara nas festas
Meu povo é humilhado nas favelas
Rimo contra a burguesia
O meu grêmio não fala apologia
Só falamos a realidade da periferia”
(Rap de um aluno do CEF-04)

Momento de votação da Assembleia Geral (30/08)

O dia 30 de agosto ficará na memória dos estudantes do Centro de Ensino Fundamental (CEF) - 04 de Planaltina. Há alguns meses atrás, quando um grupo de alunos da escola juntamente com apoiadores da Rede Estudantil Classista e Combativa (RECC) se uniram para iniciar a construção de um grêmio estudantil no CEF-04, tudo parecia muito incerto, mas o que contou no final da contas foi a atuação abnegada e sincera daqueles estudantes, verdadeiros filhos do povo.
A organização começou com as conversas nos inícios e intervalos das aulas, onde o movimento estudantil, as greves e as políticas privatistas do governo eram temas sempre presentes. Depois disso, começaram as passagens de sala em sala, reuniões de representantes para debater a proposta de Estatuto, vários cartazes foram colados nas paredes e um panfleto foi escrito e distribuído na escola para divulgar a importância do grêmio estudantil e da luta pela educação pública. A cada dia mais alunos se juntavam na proposta de construção do grêmio, todos debatiam, buscavam saber o que era o grêmio, como funcionava uma Assembléia, etc. Finalmente, após esse momento de propaganda e articulação, foi marcada, para o dia 30 de agosto, a Assembléia Geral Estudantil, com o objetivo de fundação do grêmio.
Chegamos ao dia da Assembléia. Uma comissão de militantes combativos já estava cedo na escola para ajudar nos trabalhos de organização e agitação junto aos estudantes do colégio. Duas assembléias, uma pela manhã, outra pela tarde, reuniram cerca de 200 estudantes, da 5ª à 8ª série.
O nível dos debates surpreendeu todos que estavam ali. Durante a manhã uma chapa já começou a se formar, e o seu nome foi dado em homenagem ao herói do povo: Carlos Marighella. Na parte da tarde, dois alunos da 7ª série iniciaram falando sobre a realidade das escolas públicas do DF que estão em situação precária, sem lanche digno, s
Debatendo a chapa Marighella


em reformas e coberturas nas quadras de esporte, sem professores suficientes, e questionou que nas escolas particulares, os filhos da burguesia e dos políticos estudam nas mil regalias. Falaram sobre a importância da união dos estudantes aos movimentos populares, já que estes são filhos e futuros trabalhadores, e denunciaram o vestibular como uma prova que visa elitizar a universidade.
Nos dois turnos os militantes da RECC apresentaram a história do movimento estudantil, de Edson Luis e Honestino Guimarães, do dia 28 de março – Dia Nacional de Luta dos Estudantes. Foi proposto que o grêmio fosse batizado com o nome daquele que era secundarista como todos ali e que o dia de seu assassinado deu origem ao Dia Nacional de Luta Estudantil. Após a votação unânime, o grêmio foi nomeado como Grêmio Estudantil EDSON LUIS!
O Estatuto proposto foi retirado da cartilha de grêmios da RECC com algumas adaptações. O mais ressaltado foi o fato dele não ser presidencialista, mas funcionar através de coordenações (cultura, política, organização, etc.), onde os membros têm os mesmos direitos e deveres. Foram explicados os meios de formação de chapas e como seria feita a eleição. Uma comissão eleitoral da manhã e da tarde foi definida ao final das Assembléias.
Ao final da Assembléia Geral, estudantes do CEF 04 de Planaltina e os apoiadores ainda ficaram bastante tempo conversando sobre a vitória do dia e os projetos futuros que agora poderiam florescer no colégio. Ninguém queria parar a “prosa” na porta da escola, já estava ficando escuro quando todos foram para casa. Mais uma vez que confirmou na prática o que um dia disse Marighella: “O segredo da vitória é o povo”...

Viva o Grêmio Estudantil EDSON LUÍS!
Organizar em cada escola o poder estudantil!
Por uma educação a serviço do Povo!
Avante a luta estudantil combativa!


Mais fotos: